APEDE


Como é possível que um governo…

Posted in Educação por APEDE em 31/01/2009
Como é possível que um governo escudado numa “legitimidade democrática” altere todo o quadro legal em que se estrutura a Escola Pública Democrática Portuguesa, cujos princípios estão consignados na Constituição da República, instituindo um quadro que faz da Escola uma empresa, e operando, deste modo, um verdadeiro “golpe de estado” na Educação?Não haverá mecanismos legais que processem um governo que tendo apresentado ao Povo Português um programa leve a cabo outro?Como é possível continuar impune um governante que recorre a mecanismo de chantagem e intimidação para obrigar que se cumpra pela força, o que pela razão e justiça os professores se recusam a fazer? Chantagem e intimidação não são crimes?Nenhum professor consciente teve dúvidas, ou tem, que a chamada “avaliação” dos professores, instituída pelo actual governo absoluto nunca teve como objectivo aferir o mérito de um professor, mas tão só, criar mais um mecanismo que legitime as arbitrariedades. Como se compreenderá, que quem consiga estômago bastante para participar nesta embrulhada legal e neste processo de “avaliação” sinuoso, subjectivo e arbitrário, possa ser um bom, muito bom, excelente professor e os milhares, cuja consciência cívica e moral não o permita, sejam professores medíocres, lançados no fundo da tabela dos concursos? A máscara caiu:
Eis para que serve a avaliação deste governo: Medir o grau de subserviência de um professor.
A excelência de um professor não se mede em formas, made in Chile, a excelência de um professor constrói-se todos os dias, dando-lhe condições materiais para ter acesso à cultural e não, como fizeram, reduzindo-os à indigência; a excelência de um professor constrói-se, exigindo-lhe formação científica e pedagógica, e não, como fizeram, retirando-lhe, a formação; a excelência de um professor constrói-se, promovendo a sua liberdade e dimensão humana e não,como fazem, promovendo comportamentos desviantes da sua dignidade.Eis o governo que temos: Até o partido que os levou ao Poder hipotecaram! É este o partido que Mário Soares fundou? É este o partido que ajudou a construir a democracia portuguesa?Os professores portugueses têm o dever cívico de defender a Democracia que Abril fez nascer.
Anabela Almeida
Anúncios

OCDE desmente o Ministério da Educação

Posted in Educação por APEDE em 31/01/2009
O que o Ministério sabe mas esconde cobardemente, de forma a virar os portugueses menos esclarecidos contra os que trabalham dia a dia para dar um futuro melhor aos filhos dos outros. ‘Os PROFESSORES em Portugal não são assim tão maus…’Consulte a última versão (2006) do Education at a Glance, publicado pela OCDE, em http://www.oecd.org/dataoecd/44/35/37376068.pdf. Se for à página 58, verá desmontada a convicção generalizada de que os professores portugueses passam pouco tempo na escola e que no estrangeiro não é assim. É apresentado, no estudo, o tempo de permanência na escola, onde os professores portugueses estão em 14º lugar (em 28 países), com tempos de permanência superiores aos japoneses, húngaros, coreanos, espanhóis, gregos, italianos, finlandeses, austríacos, franceses, dinamarqueses, luxamburgueses, checos, islandeses e noruegueses!No mesmo documento de 2006 poderá verificar, na página 56, que os professores portugueses estão em 21º lugar (em 31 países) quanto a salários! Na página 32 poderá verificar que, quanto a investimento na educação em relação ao PIB, estamos num modesto 19º lugar (em 31 países) e que estamos em 23º lugar (em 31 países) quanto ao investimento por aluno.E isto, o M.E. não manda publicar… Não tem problema. Já estamos habituados a fazer todos os serviços. Nós divulgamos aqui e passamos ao maior número de pessoas possível, para que se divulgue e publique a verdade.
Vítor Manuel Trindade (Prof. Catedrático)

Resistências: Agrupamento de Escolas de Alvide

Posted in Educação por APEDE em 31/01/2009
MOÇÃO
Relativamente ao modelo de Avaliação do Desempenho dos Docentes, regulamentado pelo Decreto Regulamentar 2/2008 de 10 de Janeiro, os Professores e Educadores do Agrupamento de Escolas de Alvide, abaixo assinados, consideram que as alterações introduzidas pelo Decreto Regulamentar 1-A/2009, em nada modificam os princípios e a filosofia que lhe estão subjacentes:

o Pelo contrário, consagram situações de desigualdade na avaliação das diferentes categorias de professores, acentuando as injustiças decorrentes da divisão aleatória da carreira docente em professores titulares e não titulares e continuam a originar situações paradoxais de avaliadores com formação científico-pedagógica inferior à dos docentes por eles avaliados;

o Mantêm as quotas para as classificações de Excelente e Muito Bom;

o Retiram, provisoriamente, da avaliação deste ano lectivo, os itens do abandono escolar e das classificações dos alunos, para serem retomados a partir do próximo ano;

o Desvalorizam a componente científico-pedagógica da função docente, privilegiando a componente organizacional e administrativa.

Por outro lado, não foi promovida qualquer discussão pública sobre o modelo de avaliação, nem tão pouco foram esclarecidas as dúvidas apontadas na moção subscrita neste Agrupamento e enviada à Senhora Ministra da Educação e outras entidades, em Novembro de 2008.

Em conclusão, esta pretensa versão “simplex” não é mais do que a consequência e o reconhecimento da inconsistência e inexequibilidade de um modelo de avaliação injusto, burocrático e sem qualquer carácter formativo, que não promove a melhoria do ensino.
Pelo exposto e em coerência com as posições assumidas anteriormente, os professores e educadores abaixo assinados,
 Reafirmam a sua decisão de não prosseguir com actividades relacionadas com a implementação deste modelo de Avaliação do Desempenho;
 Reiteram a o seu empenho em cumprir todas as funções que decorrem da sua actividade profissional, como sempre têm feito, enquanto professores conscientes dos seus deveres para com os alunos e para com a comunidade educativa em geral;
 Reiteram a intenção e a necessidade de serem avaliados por um modelo justo, credível e formativo que promova, efectivamente, o mérito e a melhoria do ensino.
Apelam, ainda, a que se inicie rapidamente, um processo sério de revisão do Estatuto da Carreira Docente, pela dignificação e melhoria do Ensino Público.
Agrupamento de Escolas de Alvide – Moção aprovada em 22 / Janeiro / 2009

ENTREGAR É DESISTIR!!!

Posted in Educação por APEDE em 29/01/2009

É da OCDE, sim senhor!

Posted in Educação por APEDE em 29/01/2009

Vai-se levantando o véu.

Posted in Educação por APEDE em 29/01/2009

RESISTÊNCIAS: DIGNIDADE A SUL DO TEJO

Posted in Educação por APEDE em 29/01/2009
Secundária D. João II
82% recusaram entregar o documento dos “objectivos individuais” !
A menos de 24 horas de expirar o prazo para a entrega do documento, os professores desta escola de Setúbal, reunidos pela terceira vez neste mês de Janeiro, votaram de braço no ar o compromisso definitivo de recusa. A reunião realizou-se nesta quinta-feira, ao abrigo da lei sindical. Estavam presentes 61 pessoas. Dessas, 50 dos presentes (82%) reafirmaram a posição que vinha das reuniões anteriores. Ficou claro que durante o dia de amanhã mais colegas se poderão ainda juntar ao grupo que já recusou. Os que anunciaram a sua decisão irrevogável comprometeram-se ainda a divulgar junto de colegas de outras escolas este encorajador resultado. Recorde-se que a escola tem 116 professores, incluindo o Conselho Executivo. A garantia de que neste momento já 43% (!) do total do corpo docente se recusou definitivamente faz antever que esta percentagem pode ainda ampliar-se significativamente nas próximas e derradeiras horas.
Jaime Pinho
Escola Sec. D.João II

VAMOS APOIAR A LUTA JURÍDICA DO GUINOTE

Posted in Educação por APEDE em 29/01/2009

Como já é do conhecimento de todos, o Paulo Guinote e os «umbiguistas» abriram uma conta para criar um fundo que permita pagar o parecer jurídico elaborado pelo advogado Garcia Pereira e as acções judiciais contra o Ministério da Educação que dele possam decorrer. A APEDE apoia activamente esta iniciativa, considerando que o combate no plano jurídico não deve ser menosprezado, podendo complementar a luta que travamos no plano político. Por isso, associamo-nos à subscrição nacional que agora se inicia, sublinhando que os depósitos que agora vamos fazer são um primeiro passo e que a conta que acabou de ser aberta terá de ser regularmente “alimentada”, pois os procedimentos judiciais são sempre dispendiosos. Muito dispendiosos. O NIB da conta aberta pelo Paulo é o seguinte:
NIB: 0018.0003.20167359020.29

Posted in Educação por APEDE em 28/01/2009

Sacado do próprio M.E.

Posted in Educação por APEDE em 27/01/2009

A entrega dos objectivos individuais é uma responsabilidade do docente?

Sim. O prazo para entrega dos objectivos individuais deve estar definido no calendário aprovado pela escola. Nas situações em que esse prazo não seja cumprido, deverá o director / presidente do conselho executivo notificar o docente desse incumprimento, bem como das respectivas consequências, ou seja, o período sem avaliação não será considerado para efeitos da evolução na carreira do docente

No entanto, uma vez que, quando existe falta de acordo, prevalece a posição do avaliador, poderá o director/presidente do conselho executivo fixar os objectivos ao avaliado, tendo por referência o projecto educativo e o plano anual de actividades da escola

Isto significa que não faz sentido o receio sentido por muitos colegas de:

Instauração de processos disciplinares.

Não contagem do tempo de serviço para efeitos de concurso.

Compreendido? Então não entreguem os objectivos individuais…certo?

Já são mais de 470 as escolas/agrupamentos de escolas que suspenderam a avaliação

Posted in Educação por APEDE em 27/01/2009

Lista das escolas que procederam à suspensão da aplicação do modelo de avaliação do desempenho em vigor, por decisão dos seus órgãos ou por decisão dos docentes, em reuniões gerais ou através de subscrição de posições de escola (472).
Lista em permanente actualização.

LISTA DAS ESCOLAS/AGRUPAMENTOS DE ESCOLAS
QUE SUSPENDERAM A AVALIAÇÃO (472)

REGIÃO NORTE (166)

Amarante

1. Agrup. Escolas Eiriz (Baião)
2. Agrup. Vertical Escolas Sudeste de Baião (Baião)
3. Agrup. Escolas D. Manuel Faria e Sousa (Felgueiras)
4. Agrup. Escolas Idães (Felgueiras)
5. Esc. Sec. de Felgueiras (Felgueiras
6. Agrup. Escolas Mesão Frio (Mesão Frio)

Braga

7. Esc. Sec. Carlos Amarante (Braga)
8. Esc. Sec. Maximinos (Braga)
9. Agrup. Escolas de Real (Braga)
10. Agrup. Escolas de Trigal Stª Maria (Tadim – Braga) – a suspensão foi decidida pela maioria, através da não entrega dos objectivos individuais
11. Agrupamento Vertical de Escolas da Nascente do Este (Braga)
12. Esc. Sec. D. Maria II (Braga)
13. Agrup. Lamaçães (Braga)
14. Agrup. Palmeira (Braga)
15. Agrup. Oeste da Colina (Braga)
16. Agrup. André Soares (Braga)
17. ES/3 Alberto Sampaio (Braga)
18. Agrup. Vieira de Araújo (Braga)
19. Agrup. Escolas Amares (Amares)
20. Esc Sec. da Póvoa de Lanhoso (Póvoa de Lanhoso)
21. Agrup. Escolas de Vila Verde (Vila Verde)
22. Esc. Sec. Vila Verde (Vila Verde)
23. Agrup. Escolas de Moure (Vila Verde)
24. Agrup. Escolas Prado (Vila Verde)
25. EBI Monsenhor Elísio Araújo (Pico de Regalados – Vila Verde)
26. Agrup. Ribeira do Neiva (Vila Verde)

Bragança

27. Esc. Sec./3 Abade Baçal (Bragança)
28. Esc. Sec. Miguel Torga (Bragança)
29. Agrup. Escolas de Izeda (Izeda – Bragança)
30. Agrup. Escolas Paulo Quintela (Bragança)
31. Agrup. Escolas Augusto Moreno (Bragança)
32. Esc. Sec. Emídio Garcia (Bragança)
33. Agrup. Escolas Macedo Cavaleiros (Macedo de Cavaleiros)
34. Agrup. Escolas Vimioso (Vimioso)
35. Agrup. Escolas Vinhais (Vinhais)
36. Área Sindical de Chaves
37. Esc. Sec. Júlio Martins (Chaves)
38. Esc. Sec. António Granjo (Chaves)
39. Agrup. Vertical Nadir Afonso (Chaves)
40. Agrup. Vertical Francisco Gonçalves Carneiro (Chaves)
41. Agrup. Escolas de Vidago (Vidago – Chaves)
42. Esc. Sec. Bento da Cruz (Montalegre)
43. Agrup. Escolas Baixo Barroso (Montalegre)
44. Agrup. Vertical Ribeira de Pena (Ribeira de Pena)
45. Agrup. Escolas de Cerva (Ribeira de Pena)
46. Agrup. Escolas de Valpaços (Valpaços)

Guimarães

47. Agrup. Escolas Virgínia Moura (Guimarães)
48. Agrup. Escolas EB 2,3 Fernando Távora (Guimarães)
49. Agrup. Escolas EB 2,3 D. Afonso Henriques (Guimarães)
50. Agrup. Vertical Vale S. Torcato (Guimarães)
51. Agrup. Briteiros (Caldas das Taipas (Guimarães)
52. Agrup. Vertical Escolas de Vizela (Vizela)
53. Agrup. Escolas Caldas de Vizela (Vizela)
54. Agrup. Infias (Vizela)
55. Esc. Sec. Vizela (Vizela)

Mirandela

56. Agrupamento de Escolas Luciano Cordeiro (Mirandela)
57. Esc. Sec. Mirandela (Mirandela)
58. Agrup. Vertical de Carrazeda de Ansiães (Carrazeda de Ansiães)
59. Agrup. Vertical de Carrazeda de Ansiães (Carrazeda de Ansiães)

Monção

60. Agrup. Escolas Deu La Deu Martins (Monção)
61. Esc. Sec. de Monção (Monção)
62. Agrup. Escolas Arcos de Valdevez (Arcos de Valdevez)
63. Agrup. Escolas Território Educativo de Coura (Paredes de Coura)

Penafiel

64. Esc. Sec. Lousada (Lousada)
65. Esc. Sec. Vilela (Paredes)
66. Agrupamento Vertical de Cristelo (Paredes)

Porto

67. Esc. Sec. Carolina Michaelis (Porto)
68. Esc. Sec. Fontes Pereira de Melo (Porto)`
69. Esc. Sec. Art. Soares dos Reis (Porto) (ver também Doc. Aprovado pelo Cons. Pedagógico)
70. Agrupamento Vertical Dr. Leonardo Coimbra (Filho) (Porto)
71. Esc. Sec. Garcia de Orta (Porto)
72. Esc. Sec. António Nobre (Porto)
73. Agrup. Escolas Areosa (Porto)
74. Agrup. Escolas Irene Lisboa (Porto)
75. Agrup. Vertical Escolas do Amial (Porto)
76. Agrup. Vertical Clara de Resende (Porto)
77. Agrup. Vertical Francisco Torrinha (Porto)
78. Agrup. Escolas Gomes Teixeira (Porto)
79. Esc. Sec. Gondomar (Gondomar)
80. Agrup. Vertical Rio Tinto (Rio Tinto – Gondomar)
81. Esc. Sec. Rio Tinto (Rio Tinto – Gondomar)
82. Agrup. Vertical “À Beira Douro” (Medas – Gondomar)
83. Agrup. Escolas Gueifães (Maia)
84. Agrup. Escolas Águas Santas (Maia
85. Agrup. Escolas Levante da Maia (Maia)
86. Agrup. Escolas Gonçalo Mendes da Maia (Maia)
87. Agrup. Escolas Senhora da Hora (Matosinhos)
88. Esc. Sec. Boa Nova (Leça da Palmeira – Matosinhos)`
89. Agrup. Escolas Matosinhos Sul (Matosinhos)
90. Esc. Sec. Gonçalves Zarco (Matosinhos)
91. Agrup. Vertical Escolas D. António Ferreira Gomes (Ermesinde – Valongo)
92. Agrupamento Vertical de Escolas de Alfena (Valongo)
93. Esc. Sec. Valongo (Valongo)
94. Esc. Sec. Arquitecto Oliveira Ferreira (Arcozelo – Vila Nova de Gaia)
95. Agrup. Vertical Sophia de Mello Breyner (Arcozelo – Vila Nova de Gaia)
96. Agrup. Vertical de Escolas de Valadares (Vila Nova de Gaia)
97. Esc. Sec. Diogo Macedo (Olival – Vila Nova de Gaia)
98. Agrup. Escolas Soares dos Reis (Vila Nova de Gaia)
99. Esc. Sec. Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves (Valadares – Vila Nova de Gaia)
100. Esc. Sec. António Sérgio (Vila Nova de Gaia)
101. Agrup. Vertical Escolas de Canelas (Vila Nova de Gaia)
102. Agrup. Escolas Dr. Costa Matos (EB23 Teixeira Lopes – Vila Nova de Gaia)
103. Departamentos da Esc. Sec. Oliveira do Douro (Vila Nova de Gaia)
104. Agrup. Escolas Oliveira do Douro (Vila Nova de Gaia)

Póvoa de Varzim

105. Esc. Sec. Eça de Queiroz (Póvoa de Varzim);
106. Esc. Sec. Rocha Peixoto (Póvoa de Varzim)
107. Agrup. Escolas Dr. Flávio Gonçalves (Póvoa de Varzim)
108. Agrup. Vertical Escolas A-Ver-o-Mar (Póvoa de Varzim)
109. Esc. Sec. Alcaides de Faria (Barcelos)
110. Esc. Sec. Barcelinhos (Barcelos)
111. Agrup. Escolas Abel Varzim (Vila Seca – Barcelos)
112. Agrup. Escolas Manhente (Barcelos)
113. Esc. Sec. Barcelos (Barcelos)
114. Agrup. Escolas António Correia de Oliveira (Esposende)
115. Agrupamento das Marinhas (Esposende)
116. Agrup. Escolas Terras do Baixo Neiva (Esposende)
117. Esc. Sec. José Régio (Vila do Conde)
118. Esc. Sec. Afonso Sanches (Vila do Conde)
119. Agrup. Escolas Júlio Saúl Dias (Vila do Conde)
120. Agrupamento Vertical Afonso Betote de Vila do Conde (Vila do Conde)

Santa Maria da Feira

121. Agrup. Vertical Escolas Argoncilhe (Santa Maria da Feira)
122. Esc. Sec. Santa Maria da Feira (Santa Maria da Feira)
123. Agrup. Escolas Fernando Pessoa (Santa Maria da Feira)
124. Agrup. Escolas Fernando Pessoa (Santa Maria da Feira
125. Agrup. Vertical Escolas de Fiães (Santa Maria da Feira)
126. Agrupamento de Escolas Prof. Doutor C. A. Ferreira de Almeida (Santa Maria da Feira)
127. Esc. Sec. Dr. Gomes Almeida (Espinho)
128. Agrup. Escolas de Maceda e Arada (Ovar)
129. Agrup. Escolas de Ovar-Sul (Ovar)
130. EBI S. Vicente Pereira (Ovar)

S. João da Madeira

131. Esc. Sec. Ferreira de Castro (Oliveira de Azeméis)
132. Agrup. Vertical Bento Carqueja (Oliveira de Azeméis)
133. Agrup. Escolas Cucujães (Cucujães – Oliveira de Azeméis)
134. Área Sindical de Viana do Castelo
135. Agrup. Escolas de Darque (Viana do Castelo)
136. Esc. Sec. Monserrate (Viana do Castelo)
137. Agrup. Escolas Monte da Ola (Viana do Castelo)
138. Agrup. Escolas Barroselas (Viana do Castelo)
139. Agrup. Escolas Abelheira (Viana do Castelo)
140. Esc. Sec. Santa Maria Maior (Viana do Castelo)
141. Agrup. Escolas Frei Bartolomeu dos Mártires (Viana do Castelo)
142. Agrup. Escolas Pintor José de Brito (Santa Marta de Portuzelo – Viana do Castelo)
143. Agrup. Escolas Coura e Minho (Caminha)
144. Agrup. Escolas Vale do Âncora (Vila Praia de Âncora – Caminha)
145. Esc. Sec. Ponte de Lima (Ponte de Lima)

Vila Nova de Famalicão

146. Esc. Sec. Camilo Castelo Branco (Vila Nova de Famalicão)
147. Esc. Sec. D. Sancho I (Vila Nova de Famalicão)
148. Agrup. Vertical Escolas de Vale do Este (Arnoso – Vila Nova de Famalicão)
149. Agrup. Vertical de Escolas Júlio Brandão (Vila Nova de Famalicão)
150. Agrupamento de Escolas de Pedome (Vila Nova de Famalicão)
151. Agrup. Escolas Bernardino Machado (Joane – Vila Nova de Famalicão)
152. Escola Secundária Padre Benjamim Salgado (Joane – Vila Nova de Famalicão)
153. Agrup. Escolas S. Martinho do Campo (Santo Tirso)
154. Esc. Sec. D. Dinis (Santo Tirso)
155. Esc. Sec. Tomaz Pelayo (Santo Tirso)
156. Agrupamento de Escolas de Santo Tirso (S. Rosendo – Santo Tirso)
157. Agrup. Escolas de Coronado e Covelos (Trofa)
Nota: A pedido do Presidente do C.E. do Agrupamento referimos que a suspensão foi assumida em Plenário de Professores.

Vila Real

158. Agrup. Escolas Monsenhor Jerónimo do Amaral (Vila Real)
159. Esc. Sec. Camilo Castelo Branco (Vila Real)
160. Esc. Sec. S. Pedro (Vila Real)
161. Esc. Sec. Morgado de Mateus (Vila Real)
162. Agrup. Vert. Escolas do Pinhão (Alijó)
163. Esc. Sec. Murça (Murça)
164. Agrup. Vertical Escolas Murça (Murça)
165. Esc. Profissional do Rodo (Régua)
166. Agrup. Vertical Escolas de Sabrosa (Sabrosa)

REGIÃO CENTRO (148)

Coimbra

1. Escola Secundária c/3º Ciclo D. Dinis (Coimbra)
2. Escola Secundária de Tábua
3. Escola Secundária Infanta D. Maria
4. Escola Secundária de Cantanhede
5. Escola Secundária Jaime Cortesão
6. Escola Secundária José Falcão
7. Escola Secundária D. Duarte
8. Escola Secundária c/ 3º Ciclo Fernando Namora (Condeixa-a-Nova)
9. Escola Secundária de Arganil
10. Escola Secundária da Lousã
11. Escola Secundária c/ 3º Ciclo de Cristina Torres (Figueira da Foz)
12. Escola Secundária Bernardino Machado (Figueira da Foz)
13. Escola Secundária c/ 3.º Ciclo de Mira
14. Escola Secundária Avelar Brotero (Coimbra)
15. Escola Secundária Quinta das Flores (Coimbra)
15. Escola Básica Integrada Ferrer Correia, Senhor da Serra (Miranda do Corvo)
16. Agrupamento de Escolas de Mira
17. Agrupamento de Escolas de Cantanhede
18. Agrupamento de Escolas Alice Gouveia
19. Agrupamento de Escolas Silva Gaio
20. Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Poiares
21. Agrupamento de Escolas de Martim de Freitas
22. Agrupamento de Escolas Inês de Castro (Coimbra)
23. Agrupamento de Escolas de Penacova
24. Agrupamento de Escolas de S. Pedro d’Alva
25. Agrupamento de Escolas da Pedrulha (Coimbra)
26. Agrupamento de Escolas da Carapinheira (Montemor-o-Velho)
27. Agrupamento de Escolas de Penela
28. Agrupamento de Escolas Finisterra, Febres (Cantanhede)
29. Agrupamento de Escolas Gândara-Mar (Tocha)
30. Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Velho
31. Agrupamento de Escolas da Lousã
32. Agrupamento de Escolas Brás Garcia de Mascarenhas (Oliveira do Hospital)
33. Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova
34. Agrupamento de Escolas de S. Silvestre (Coimbra)
35. Agrupamento de Escolas da Cordinha (Oliveira do Hospital)
36. Agrupamento de Escolas Brás Garcia de Mascarenhas (Oliveira do Hospital)
37. Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro (Coimbra)
38. Agrupamento de Escolas do Paião (Figueira da Foz)
39. Agrupamento de Escolas de Anadia

Aveiro

40.. Agrupamento de Escolas de Aguada de Cima
41. Agrupamento de Escolas de Cacia
42. Agrupamento de Escolas de Esgueira
43. Agrupamento de Escolas da Pampilhosa
44. Agrupamento de Escolas de Oliveirinha (Aveiro)
45. Agrupamento de Escolas de Sever do Vouga
46. Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha
47. Agrupamento de Escolas de Aveiro
48. Agrupamento de Escolas de Avanca
49. Agrupamento de Escolas de Branca (Albergaria-a-Velha)
50. Agrupamento de Escolas da Mealhada
51. Agrupamento de Escolas de Eixo (Aveiro)
52. Agrupamento de Escolas de Fermentelos (Águeda)
53. Agrupamento de Escolas da Gafanha da Nazaré (Aveiro)
54. Agrupamento de Escolas de Anadia
55. Escola Secundária de Estarreja
56. Escola Secundária de Vagos
57. Escola Secundária Jaime Magalhães Lima
58. Escola Secundária Homem Cristo
59. Escola Secundária Marques de Castilho (Águeda)
60. Escola Secundária José Estêvão
61. Escola Secundária da Mealhada
62. Escola Secundária de Anadia
63. Escola Secundária de Esgueira

Castelo Branco

64. Escola Secundária c/ 3.º ciclo Amato Lusitano
65. Escola Secundária c/ 3.º ciclo Campos Melo
66. Escola Secundária Frei Heitor Pinto
67. Escola Secundária c/ 3.º Ciclo Quinta das Palmeiras
68. Agrupamento de Escolas Paúl – Entre Ribeiras (C. Branco)
69. Agrupamento de Escolas Pedro Álvares Cabral
70. Agrupamento de Escolas João Franco (Fundão)
71. Agrupamento de Escolas Cidade de Castelo Branco
72. Agrupamento de Escolas Afonso de Paiva, Castelo Branco
73. Agrupamento de Escolas da Sertã
74. Agrupamento de Escolas José Sanches (Alcains)
75. Agrupamento de Escolas Ribeiro Sanches (Penamacor)
76. Agrupamento de Escolas da Serra da Gardunha
77. Agrupamento de Escolas de Mação
78. Agrupamento de Escolas de Tortosendo
79. Agrupamento de Escolas de Oleiros
80. Agrupamento de Escolas Pêro da Covilhã
81. Agrupamento de Escolas João Roiz (C. Branco)
82. Agrupamento de Escolas Pedro Álvares Cabral (Belmonte)

Guarda

83. Agrupamento de Escolas de S. Miguel (Guarda)
84. Agrupamento de Escolas de Santa Clara (Guarda)
85. Agrupamento de Escolas da Sequeira (Guarda)
86. Agrupamento de Escolas de Gouveia
87. Agrupamento de Escolas de Almeida
88. Agrupamento de Escolas de Tourais (Paranhos)
89. Agrupamento de Escolas de Loriga
90. Agrupamento de Escolas de Manteigas
91. Agrupamento de Escolas do Sabugal
92. Agrupamento de Escolas de Vilar Formoso
93. Agrupamento de Escolas de Aguiar da Beira
94. Escola Secundária de Seia
95. Escola Secundária de Pinhel
96. Escola Secundária Afonso de Albuquerque
97. Escola Secundária da Sé (Guarda)

Leiria

98. Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo
99. Escola Secundária Domingos Sequeira
100. Escola Secundária de Figueiró dos Vinhos
101. Agrupamento de Escolas do Avelar
102. Agrupamento de Escolas de Castanheira de Pêra
103. Agrupamento de Escolas de Pataias
104. Agrupamento de Escolas Marquês de Pombal
105. Agrupamento de Escolas Rainha Santa Isabel
106. Agrupamento de Escolas de Figueiró dos Vinhos
107. Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus
108. Agrupamento de Escolas de Caranguejeira (Leiria)
109. Agrupamento de Escolas Marquês de Pombal (Pombal)
110. Agrupamento de Escolas José Saraiva (Leiria)

Viseu

111. Escola Secundária de Mortágua
112. Escola Secundária/3CEB Egas Moniz (Resende)
113. Escola Secundária Viriato (Viseu)
114. Escola Secundária c/ 3º Ciclo de Carregal do Sal
115. Escola Secundária de Santa Comba Dão
116. Escola Secundária de Tondela
117. Escola Secundária de Castro Daire
118. Escola Secundária Alves Martins (Viseu)
119. Escola Secundária Prof. Dr. Flávio de Resende (Cinfães)
120. Escola Secundária Emídio Navarro (Viseu)
121. Escola Secundária de Mangualde
122. Agrupamento de Escolas de Sátão
123. Agrupamento de Escolas de Mões (Castro Daire)
124. Agrupamento de Escolas Azeredo Perdigão (Viseu)
125. Agrupamento de Escolas Infante D. Henrique (Viseu)
126. Agrupamento de Escolas de Oliveira de Frades
127. Agrupamento de Escolas de Vouzela
128. Agrupamento de Escolas de Resende
129. Agrupamento de Escolas de Silgueiros
130. Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal
131. Agrupamento de Escolas de Canas de Senhorim
132. Agrupamento de Escolas de Castro Daire
133. Agrupamento de Escolas de Tabuaço
134. Agrupamento de Escolas de Moimenta da Beira
135. Agrupamento de Escolas de Santa Comba Dão
136. Agrupamento de Escolas de Mundão
137. Agrupamento de Escolas do Viso
138. Agrupamento de Escolas de Sernancelhe
139. Agrupamento de Escolas de Mundão. Viseu
140. Escola Secundária Felismina Alcântara (Mangualde)
141. EB 2/3 + S de Oliveira de Frades
142. Agrupamento de Escolas de Souselo (Cinfães)
143. Agrupamento de Escolas de Cinfães
144. Agrupamento de Escolas da Sé, Lamego
145. Agrupamento de Escolas de Tondela
146. Agrupamento de Escolas do Caramulo (Tondela)
147. Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Paiva
148. Agrupamento de Escolas de Mortágua

REGIÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO (109)

Lisboa

1. Agrupamento de Escolas de Santa Iria de Azóia (Loures)
2. Agrupamento de Escolas Luís de Sttau Monteiro (Loures)
3. Escola Secundária da Ramada (Odivelas)
4. Agrupamento de Escolas Patrício Prazeres (Lisboa)
5. Agrupamento de Escolas de Fernando Pessoa
6. Agrupamento de Escolas S. Julião da Barra
7. Escola Secundária Rainha D. Amélia
8. Escola Secundária Marquês de Pombal
9. Casa Pia – Colégio Pina Manique
10. Casa Pia – Nuno Alvares
11. Casa Pia – Instituto Jacob Rodrigues Pereira
12. Casa Pia – Colégio Maria Pia
13. Escola Secundária Padre Alberto Neto
14. Escola Secundária Dr. António Carvalho Figueiredo
15. Escola Secundária Ferreira Dias
16. Escola Secundária Camões
17. Escola Secundária Virgílio Ferreira
18. Agrupamento de Escolas Avelar Brotero
19. Agrupamento de Escolas de Santo Onofre
20. Agrupamento de Escolas João de Deus (Cascais)
21. Escola Secundária Pedro Alexandrino
22. Escola Secundária Dª Luísa de Gusmão
23. Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva (Albarraque-Sintra)
24. Agrupamento de Escolas de Alvide (Cascais)
25. Escola Secundária Vitorino Nemésio
26. Escola Secundária do Restelo
27. Escola Secundária de Mem Martins (Sintra)
28. Agrupamento de Escolas Gil Vicente (Lisboa)
29. Agrupamento de Escolas de Carnaxide / Portela
30. Escola Secundária Pedro Nunes
31. Agrupamento Vertical de Escolas Dª Filipa de Lencastre (Lisboa)
32. Agrupamento de Escolas Quinta de Marrocos (Lisboa)
33. Agrupamento de Escolas Delfim Santos (Lisboa)
35. Escola Secundária Amélia Rey Colaço (Linda a Velha)
36. Agrupamento de Escolas Pedro de Santarém (Lisboa)
37. Agrupamento de Escolas Padre Cruz (Lisboa)
38. Escola Secundária Braancamp Freire (Pontinha)
39. Agrupamento Vertical de Escolas D. Pedro IV (Sintra)
40. Escola Secundária José Saramago (Mafra)
41. Escola Secundária José Cardoso Pires (Amadora)
42. EB 2,3 das Olaias
43. Escola Secundária de Ensino Artístico António Arroio
44. Escola Secundária Afonso Domingues (Lisboa)
45. Agrupamento de Escolas de Alvalade (Lisboa)
46. Agrupamento de Escolas Damião de Góis (Lisboa)
47. Escola Secundária da Cidadela (Cascais)
48. Escola Secundária de Miraflores
49. Escola Secundária Eça de Queirós (Lisboa)
50. Escola Secundária / 3º CEB de Montejunto (Cadaval)
51. Escola Secundária do Forte da Casa
52. Escola Secundária Professor Herculano de Carvalho (Lisboa)
54. Agrupamento de Escolas Roque Gameiro (Amadora)
55. Agrupamento de Escolas João Villaret
56. Agrupamento de Escolas Visconde Juromenha
57. Escola Secundária com 3º CEB Padre António Vieira (Lisboa)
58. Escola Secundária com 3º CEB de São João da Talha

Setúbal

59. Escola Secundária da Baixa da Banheira
60. Escola Secundária de Bocage (Setúbal)
61. Escola Secundária c/ 3º Ciclo da Amora
62. Escola Secundária c/ 3º Ciclo Manuel Cargaleiro
63. Agrupamento de Escolas Conceição e Silva
64. Agrupamento de Escolas Luísa Todi
65. Escola Secundária de Sampaio
66. Escola Secundária Padre António Macedo
67. Agrupamento de Escolas Dr. António Augusto Louro (Seixal)
68. Agrupamento de Escolas de Santo António (Barreiro)
69. Escola Secundária José Afonso (Seixal)
70. Agrupamento de Escolas Lima de Freitas
71. Agrupamento de Escolas Álvaro Velho (Lavradio)
72. Agrupamento António Augusto Sousa – Seixal
73. Escola Secundária D. João II
74. Escola Secundária Augusto Cabrita (Barreiro)
75. Agrupamento Vertical de Escolas de Azeitão
76. Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos (Pinhal Novo)
77. Escola Secundária Sebastião da Gama
78. Agrupamento de Escolas de Cetóbriga / Aranguez
79. Agrupamento de Escolas Lima de Freitas / Viso
80. Agrupamento de Escolas Professor Ruy Luís Gomes
81. Agrupamento de Escolas Nun’Álvares (Arrentela/Seixal)
82. Escola secundária do Monte da Caparica
83. Agrupamento Vertical de Escolas Alfredo da Silva
84. Agrupamento de Escolas da Marateca / Poceirão
85. Agrupamento Vertical de Escola Quinta Nova da Telha
86. Escola Secundária de Palmela
87. Agrupamento de Escolas de Palmela
88. Escola Secundária Daniel Sampaio
89. Agrupamento de Escolas Quinta da Lomba (Barreiro)
90. Agrupamento Vertical de Escolas de Sant’Iago (Setúbal)
91. Escola Secundária Monte da Caparica

Santarém

92. Agrupamento de Escolas do Entroncamento
93. Escola Secundária do Entroncamento
94. Escola Secundária de Rio Maior
95. Agrupamento de Escolas Francisco Casimiro
96. Agrupamento de Escolas José Relvas (Alpiarça)
97. Agrupamento Vertical de Escolas D. Miguel de Almeida (Abrantes)
98. Agrupamento de Escolas Verde Horizonte (Mação)
99. Agrupamento de Escolas de Tramagal (Abrantes)
100. Agrupamento de Escolas Dr. Manuel Fernandes
101. Escola Sec. Marquesa de Alorna (Almeirim)
102. Agrupamento de Escolas IV Conde de Ourém
103. Agrupamento de Escolas de Stª Iria (Tomar)
104. Agrupamento D. Nuno Álvares Pereira (Tomar)
105. Escola (Agr.) EB 2/3 Febo Moniz (Almeirim)
106. Agrupamento de Escolas de Fazendas de Almeirim
107. Escola(Agr.) EB 2/3 de Marinhais
108. Escola Secundária Maria Lamas (Torres Novas)
109. Agrupamento de Escolas Gil Paes (Tomar)

REGIÃO SUL (ALENTEJO E ALGARVE) (49)

Beja

1. Agrupamento de Escolas de Odemira
2. Agrupamento de Escolas de Mértola
3. Agrupamento de Escolas de Odemira
4. Escola Secundária Diogo Gouveia – Beja
5. Agrupamento da Vidigueira
6. Escola Secundária de Moura
7. Escola Secundária de Odemira

Évora

8. Escola Secundária André de Gouveia, Évora
9. Escola Secundária Severim de Faria
10. Escola Secundária Gabriel Pereira
11. Escola Secundária André de Gouveia
12. Agrupamento de Escolas de Redondo
13. Escola Secundária com 3º Ciclo de Vendas Novas

Portalegre

14. Agrupamento de Escolas José Régio, Portalegre
15. Agrupamento de Escolas de Estremoz
16. Escola Secundária de São Lourenço, Portalegre
17. Agrupamento de Escolas de Castelo de Vide

Faro

18. Secundária Dra. Laura Ayres (Quarteira)
19.Secundária José Belchior Viegas (S. Brás de Alportel)
20. Agrupamento Vertical de Escolas D. Paio Peres Correia (Tavira)
21. Agrupamento Vertical de Escolas Sto. António (Faro)
22. Agrupamento Vertical de Escolas Dr. António da Costa Contreiras (Armação de Pêra)
23. Agrupamento Vertical de Escolas Júdice Fialho (Portimão)
24. Agrupamento Vertical de Escolas das Naus (Lagos)
25. Agrupamento Vertical de Escolas de Vila do Bispo
26. Agrupamento Vertical de Escolas D. Paio Peres Correia (Tavira)
27. Agrupamento Vertical de Escolas D. Dinis (Quarteira)
28. EB 2,3 D. José I (Vila Real de Sto. António)
29. Escola Secundária de Tavira
30. Escola Secundária Teixeira Gomes (Portimão)
31. Escola Secundária de Silves
32. Agrupamento de Escolas Francisco Cabrita
33. Escola Secundária de Vila Real de Santo António
34. Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Cacela
35. Escola Secundária Tomás Cabreira (Faro)
36. Agrupamento Vertical de Escolas de Monte Negro
37. Agrupamento Vertical de Escolas Dr. Alberto Iria (Olhão)
38. Agrupamento Vertical de Escolas de Estombar
39. Agrupamento Vertical de Escolas de Monchique
40. Agrupamento Vertical de Escolas de Almancil
41. Escola Secundária Pinheiro e Rosa (Faro)
42. Agrupamento Vertical de Escolas de Lagos
43. Agrupamento Vertical de Escolas D. Manuel I (Tavira)
44. Agrupamento de Escolas D. Martinho de Castelo Branco (Portimão)
45. Escola Secundária Dr. Francisco Fernandes Lopes (Olhão)
46. Agrupamento Vertical de Escolas de São Brás de Alportel
47. Agrupamento de Escolas Prof. Paula Nogueira (Olhão)
48. Escola Secundária de Albufeira
49. Agrupamento Vertical de Escolas João da Rosa
(Olhão)

UM AGRADECIMENTO E UM APELO (PARTE 2)

Posted in Educação por APEDE em 25/01/2009

Como referimos atrás, do número de sócios dependem os meios financeiros de que dispomos para desenvolver actividades que são, de facto, dispendiosas:
– Concentrações e manifestações, sempre que envolvam uma logística de som condigna;
– Publicação de anúncios em jornais para expor as posições dos professores (uma ideia que não pôde ser ainda concretizada, dado o preço desses mesmos anúncios);
– Apoio jurídico.
Em relação a este último ponto, gostaríamos de esclarecer o seguinte. Foi sempre intenção da APEDE obter esse apoio, não só para lançar eventuais iniciativas judiciais contra o Ministério da Educação, mas também para satisfazer dúvidas de ordem jurídica que tantas vezes se nos colocam. Presos como temos estado a outras actividades, que nos levaram a negligenciar as campanhas de angariação de sócios, não conseguimos ainda a base financeira para sustentar, em termos permanentes, o referido aconselhamento jurídico. Como se sabe, recentemente o Paulo Guinote e um conjunto de colegas que se lhe juntaram decidiram avançar para a contração do advogado Garcia Pereira no sentido de se obter um parecer jurídico que permita abrir uma nova frente de batalha contra o Ministério da Educação. Desde já dizemos que a APEDE apoia esta iniciativa e apela a todos os seus sócios para participarem na subscrição nacional, através do NIB que o Paulo Guinote anunciará em breve no seu blogue. Mas, quando falamos de apoio jurídico, estamos a pensar noutra coisa: estamos a pensar no apoio durável que podemos esperar de um ou mais advogados para as mais diversas situações jurídicas que se nos possam deparar. Isto não exclui que, se a APEDE crescer em número de sócios, a Assembleia-Geral possa decidir canalizar uma parte dos fundos da associação para a conta aberta pelos «umbiguistas», independentemente dos contributos individuais que cada professor, sócio ou não da APEDE, entenda dar para essa conta. Precisamos de ter consciência de que os processos judiciais são prolongados e muito onerosos. Neste aspecto, todo o dinheiro que se consiga reunir nunca será demais.

Lista actualizada de 168 escolas e agrupamentos com moções aprovadas em Janeiro.

Posted in Educação por APEDE em 25/01/2009

UM AGRADECIMENTO E UM APELO

Posted in Educação por APEDE em 25/01/2009

Caros colegas:

Queremos agradecer a todos o contributo financeiro que deram para tornar possível o suporte de som na concentração do dia 24 de Janeiro. O valor total ficou em 930 € (com o IVA acrescentado ao valor inicial).
Não fizemos um peditório de mão estendida, como algumas más-línguas quiseram sugerir, mas uma subscrição digna e aberta a todos os que se identificam com a nossa luta, a todos os que nela participam e a todos os que reconhecem as limitações e as dificuldades de ordem financeira com que a APEDE e os restantes movimentos se debatem.
Estas dificuldades, porém, mostram que PRECISAMOS URGENTEMENTE DE CRESCER EM NÚMERO DE SÓCIOS. Envolvidos como estamos em mil e uma actividades e exigências que chegam de todos os lados, para além do trabalho que realizamos como professores, temos descurado a angariação de novos sócios. Este é o momento para relançar essa angariação. Por isso, apelamos a todos os sócios da APEDE para, nas suas escolas e nos seus círculos de colegas de profissão, trazerem mais membros para a nossa associação.
Lembramos que a APEDE, estando ao lado de todos os movimentos ligados à luta pelos direitos da classe docente e pela defesa da escola pública, não é apenas um movimento. É uma associação legalmente constituída, com personalidade jurídica e conta aberta, o que lhe confere maior estabilidade na sua existência e lhe permite ter suporte financeiro para as acções de luta dos professores. Mas, para que esta última condição se concretize, precisamos de mais sócios. De muitos mais.
A luta que estamos a travar é dura, difícil e vai ser, provavelmente, mais longa do que desejaríamos. A APEDE não pretende ser uma entidade volátil, que surgiu agora para desaparecer no momento seguinte. Se quisermos existir de modo durável, necessitamos da força que o número de sócios nos possa dar.
Reiteramos, pois, o nosso apelo: TRAGAM MAIS UM AMIGO TAMBÉM.
A ficha de inscrição encontra-se num link do menu principal do site da APEDE (http://www.apede.pt/). Podem enviá-la pelo correio para o seguinte endereço postal:
APEDE
Apartado 9
2504-909 Caldas da Rainha
Recordamos ainda que o NIB da APEDE é: 003501520000152963063.

PORQUE ISTO É MUITO IMPORTANTE

Posted in Educação por APEDE em 25/01/2009
Dúvidas sobre os conflitos de interesses na aplicação do Simplex2:

1. Há conflito(s) de interesses entre os professores todos de uma escola e alguém que sendo seu/sua actual avaliador/a – Presidente do Conselho Executivo – seja candidato/a a Director/a para um próximo mandato.

2. Há ainda outro conflito (da mesma natureza) entre o/a candidato/a a
Director/a Executivo/a, na condição de avaliador, e os membros do Conselho Geral de Escola que terão que o/a eleger, sabendo que estão/vão ser avaliados por esse/a candidato/a.

3. Há mais um conflito que deriva do facto de o/a candidato/a a Director/a ser o/a avaliador/a dos “futuros/as escolhidos/as” da sua Equipa e dos/as Coordenadores/as, etc.

Mas, na hipótese de não se verificarem os anteriores conflitos, há este problema:

4. Em algumas escolas, no final do ano, os PCEs não serão os Directores eleitos para o próximo mandato. Nesses casos, o Director apanhará o processo de avaliação na fase final e terá de avaliar professores que ele ou ela não acompanhou ou nem sequer conhece o que torna este processo inoperacional.

Concentração em Belém – Mais fotos

Posted in Educação por APEDE em 24/01/2009

Concentração em Belém – Alguns dos oradores

Posted in Educação por APEDE em 24/01/2009

Concentração em Belém – As fotos da APEDE

Posted in Educação por APEDE em 24/01/2009

É HOJE!!!

Posted in Educação por APEDE em 24/01/2009

Escolas mobilizam-se individualmente para manifestação de amanhã em frente ao Palácio de Belém

Posted in Educação por APEDE em 23/01/2009
Manifestação sem sindicatos

Sem a capacidade logística e financeira dos sindicatos, os movimentos independentes de professores recorrem à Internet e à “carolice” para garantir a mobilização. Sempre inspirados pelos versos de Miguel Torga: “Não sei quantos seremos, mas que importa?! Um só que fosse, e já valia a pena”.

As despesas com a organização da manifestação do próximo sábado, em frente ao Palácio de Belém, são suportadas na íntegra pelos coordenadores dos movimentos. Dizem que as faixas e bandeiras são “artesanais” e “amadoras” e que tudo depende da “espontaneidade” dos professores.

“Não temos a máquina nem a logística própria dos sindicatos. Nem sequer temos capacidade financeira para alugar autocarros. Daí o lema ‘uma escola, um autocarro’, para serem os próprios professores escola a escola a organizarem-se”, explicou à Lusa Octávio Gonçalves, coordenador do movimento Promova, fundado em Vila Real.

Alugar um autocarro para uma deslocação a Lisboa a partir daquela cidade transmontana custa 800 a 900 euros, o que dá cerca de 20 euros a cada professor. A este valor há que juntar as despesas com a alimentação fora de casa. “Parte muito da vontade individual dos professores”.

Para a manifestação frente à residência oficial de Cavaco Silva, Mário Machaqueiro, da Associação de Professores em Defesa do Ensino, está a tratar da logística relacionada com a aparelhagem de som e respectivos técnicos. O orçamento deverá ultrapassar os 800 euros.

Por isso, organizam-se de forma a que as despesas sejam mínimas, já que a maior parte das vezes são sustentadas por um número reduzido de professores. Normalmente, pelos vários movimentos que subscrevem as iniciativas e outros professores que queiram fazer donativos, explica.

“Muito do que fazemos e das despesas que temos tem por detrás aquilo a que se chama carolice, mas que traduz bem o empenhamento individual das pessoas ligadas a estas iniciativas”, diz Machaqueiro.

O cartaz adoptado pelos movimentos para este protesto, por exemplo, foi desenhado por um professor do departamento de Expressões de uma escola, que tem um curso de Design Gráfico. Habitual colaborador das iniciativas dos professores independentes, não cobrou nada pelo trabalho.

Sem um espaço físico, os movimentos de professores funcionam sobretudo no mundo virtual. Encontram-se no Messenger e fazem dos blogues e e-mails a sua principal arma para fazer propaganda e mobilizar professores.

“Alguns de nós somos coordenadores de tecnologias da informação e comunicação, pelo que dominamos as ferramentas informáticas, construção de sites e blogues e nesta área até temos algum nível de organização”, sublinha Octávio Gonçalves.

Segundo o responsável, o Promova tem uma rede de contactos “diversificada e extraordinariamente bem montada”, pelo que em cinco minutos qualquer informação ou comunicado pode chegar “a cerca de 25 mil professores”, que depois reenviam para colegas.

“A articulação em rede que a Internet hoje propicia é um instrumento muito poderoso. Permite levar a nossa voz e o incentivo à mobilização muito mais longe e a muitos mais professores”, acrescenta Mário Machaqueiro.

Depois de manifestações no Marquês de Pombal e na Assembleia da República, os movimentos viram-se agora para o Palácio de Belém. A ideia é sensibilizar Cavaco Silva para o conflito e para os problemas que se vivem actualmente no sector.

“Esta conflitualidade arrasta-se já há tanto tempo que é necessária a intervenção do Presidente da República. O que está em causa é o ambiente nas escolas e a necessidade de os professores se concentrarem nas aprendizagens dos alunos, numa altura em que estamos a entrar numa fase decisiva do ano escolar”, defende Octávio Gonçalves.

Relativamente à adesão dos professores a esta iniciativa, Mário Machaqueiro espera entre 15 e 20 mil docentes, à semelhança dos números registados pelos movimentos a 15 de Novembro, isto se o “tempo der uma ajuda”.

Página seguinte »

%d bloggers like this: