APEDE


80% dos docentes do distrito de Vila Real não entregaram os objectivos individuais. O que fazer daqui em diante?

Posted in Educação por APEDE em 06/02/2009
Cerca de 80% dos professores do distrito de Vila Real não entregaram os objectivos individuais, o primeiro passo do processo de avaliação de desempenho. São dados recolhidos pelo Promova, um Movimento de Professores daquele distrito. Uma realidade que noutros pontos do país não é tão expressiva, admite Octávio Gonçalves. “Fundamentalmente a Norte, os professores estão a ser coerentes com as tomadas de posição que tiveram contra este modelo de avaliação”. RR, 6/2/09
Comentário
1. Estamos numa fase muito complexa. A informação é escassa. Ao certo, sabemos que a percentagem de recusas da entrega dos O.I. é muito elevada no Norte do País e elevada no Centro do país.
2. Nos distritos de Lisboa e de Faro, a percentagem é mais baixa, mas não há dados conclusivos, visto que, na DREALG, foi dada uma segunda oportunidade para a entrega dos O.I. As pressões e intimidações de professores e PCEs são enormes no Algarve. Seria bom que a FENPROF movesse acções judiciais contra os autores dessas intimidações. O que por ali se passa é muito grave.
3. Não há uma estratégia e uma orientação claras sobre os objectivos da luta e, por isso, os professores estão perplexos. Afinal, o objectivo é não entregar os O.I. mas entregar a ficha de auto-avaliação? Mas isso significará aceitar a avaliação de desempenho. O momento da verdade chegará na fase da entrega da ficha de auto-avaliação, essa sim obrigatória e com consequências sérias. Se o docente não entregar a ficha de auto-avaliação, não será avaliado e submete-se às consequências previstas na lei: não contagem de tempo de serviço para progressão na carreira. E pode haver lugar a manobras de intimidação do tipo processos disciplinares. E, se forem poucos os resistentes, a probabilidade de isso acontece é grande.
4. É preciso uma estratégia e uma orientação claras. O que é que se pretende? O objectivo é recusar a avaliação de desempenho e ir até ao fim ou é apenas manter o braço-de-ferro da contagem das recusas da entrega dos O.Is? Os professores precisam de saber. Os resistentes precisam de saber para terem a certeza de que não vão ser abandonados. Nesta altura, quem tem mais informação são os sindicatos. São eles que têm mais legitimidade para propor novas formas de luta.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: