APEDE


Violências e canto do cisne

Posted in Nervosismos repressivos por APEDE em 20/01/2011

O que sucedeu ontem com a violência pessoal que se abateu sobre os sindicalistas e outros manifestantes, numa altura em que estes se encontravam já a dispersar (ou a tentar fazê-lo, porque, pelos vistos, a polícia não deixou), é “apenas” um indício de que o actual governo se está a precipitar, de facto, para o seu fim.

E o fim é sempre pouco bonito.

Nisto, o canto de cisne do socratismo em tudo imita o canto de cisne do cavaquismo. Lembram-se de como o cavaquismo acabou? O toque de finados começou a soar com a  violência policial desproporcionada contra os manifestantes que contestavam os aumentos na portagem da Ponte 25 de Abril.

E estas explosões não são só excesso de zelo policial. São o nervosismo de quem pressente o colapso ao virar da esquina.

Pena é que haja sempre polícias que se prestem a estas lamentáveis cenas. Até parece que estes guardiães “da ordem e dos bons costumes” não vão sofrer, como todos os funcionários públicos, cortes brutais nos seus salários. Até parece que eles são pagos a peso de ouro por cada cassetada que aplicam zelosamente.

Há muitas maneiras de se ter alma de escravo. Esta é apenas uma delas.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: